O que é hedge cambial – A P6Câmbio explica

0
76

Hedge, em português conhecido como cobertura ou cerca e limite, é um instrumento para assegurar preços de determinados ativos para compra ou venda futura. Assim, há a redução dos riscos oferecidos pelas oscilações do mercado financeiro.

Dessa forma, empresas podem garantir a fixação dos valores que desejam pagar ou receber em uma determinada operação. Nestes contratos, o objetivo não é o lucro, mas a redução ou eliminação da possibilidade de prejuízo.

O que é hedge e o que significa

Hedge é um instrumento que visa a proteção dos riscos oferecidos pelas oscilações do mercado financeiro. Hedge pode ser traduzido em português como cobertura ou segurança e tem como objetivo proteger a operação financeira das variações de preço de um ativo, reduzindo o seu risco.

A prática surgiu no século XIX, como forma de fixar os preços das commodities, limitando o risco corrido pelos produtores rurais. Na época, o instrumento foi chamado de “cerca e limite”.

Conceito de Hedge

Hedge é um instrumento utilizado para transferir a terceiros o risco de uma operação. Ou seja: é uma forma da empresa ou o investidor se proteger contra as oscilações do mercado financeiro.

A prática é regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional e só pode ser aplicada em situações que realmente protejam o negócio da empresa ou profissional. Investidores não podem fazer uso desta estratégia para fins especulativos – apostas que objetivam ganhar lucros muito maiores do que a média.

O que significa fazer hedge no mercado financeiro

Hedge é um termo muito utilizado no mercado financeiro, pois é um instrumento fundamental para proteger o investidor contra os riscos de mercado, como variações de preços.

Neste caso, o investidor que utiliza este instrumento tem mais preocupação em garantir o preço de um determinado ativo para uma compra ou venda futura do que no lucro da operação.

Hedge cambial

O hedge cambial é muito utilizado por negócios que mantêm relações comerciais com empresas estrangeiras. Independente se para compra ou para venda, pode ser interessante para a empresa estabelecer um contrato de hedge que fixe o valor da moeda em um número, protegendo contra os riscos das variações cambiais.

É neste tipo de contrato que pode ser realizado o swap, ou seja, a troca de indexador aplicado no investimento, mudando sua rentabilidade.

O hedge cambial pode ser realizado através de outras estratégias, como a compra do dólar (em que você compra a moeda em um momento de baixa e a mantém até que valorize), podendo vender ou utilizar para pagamentos. É possível também:

  • Negociar contratos e minicontratos futuros: você estabelece o direito de comprar ou vender a moeda em um momento futuro, a um determinado preço;
  • Aplicar em fundos cambiais: é o modelo mais comum para investir em títulos cambiais, de forma que seus ativos estejam atrelados à variação do câmbio;
  • Conquistar o direito de comprar a moeda no futuro: as opções de compra de moeda são formas de garantir a compra da moeda pelo preço de mercado no dia da contratação do hedge.

Diferença entre hedge e swap

Você já ouviu falar de swap? O termo, que significa “troca”, é uma modalidade de contrato de hedge. Ou seja: hedge, o termo estudado neste artigo, pode ser feito de diversas formas. Uma delas é através do swap.

Portanto, não confunda: hedge e swap não são a mesma coisa! Swap é apenas uma das maneiras de utilizar hedge para proteção.

O swap consiste na troca de indexadores (índices). Digamos que uma empresa possui investimentos em renda fixa, como o CDI, mas tem como parte de sua operação a compra de matéria-prima no exterior, pagando em dólar. Ela pode querer se proteger contra a alta do dólar (evitando que seu custo operacional aumente).

Para isso, fará uma operação de hedge e trocará a rentabilidade do CDI pela rentabilidade do câmbio. Dessa forma, seu custo operacional não será superior à rentabilidade de seu investimento.

Outros Tipos de hedge do mercado financeiro

Hedge é um instrumento que pode ser aplicado para proteção em investimentos de diferentes ativos. Os tipos de hedge fazem referência, na verdade, aos ativos sobre os quais a estratégia pode ser aplicada. Cada tipo tem um objetivo e um funcionamento diferenciado. Conheça:

Hedge em commodities

O tipo mais comum é o hedge utilizado em commodities. Foi, inclusive, para proteger os agricultores contra a variação de preços de seus produtos que esse instrumento surgiu.

O objetivo deste tipo de hedge é evitar os riscos da movimentação de oferta e demanda, impedindo que a imprevisibilidade afete os resultados do mercado.

hedge em commodities funciona a partir de contratos futuros, em que os produtores estabelecem com seus compradores um preço fixo, que só será pago futuramente (bem como a entrega dos produtos).

Assim, quando os produtores rurais conseguem ter uma previsão de colheita, definem os preços que consideram justos para a comercialização dos seus produtos. Com isso, evitam uma queda nos preços em caso de grande disponibilidade.

Ao mercado, a estratégia também oferece vantagem, já que evita que a escassez eleve demais o preço das commodities.

Hedge natural

Este tipo de hedge é muito utilizado em ações de empresas exportadoras, que operam ou têm ativos em dólar. As ações dessas empresas, em um cenário de desvalorização da moeda nacional, vão subir, pois sua receita é constituída através de recebimentos em moeda estrangeira.

Além disso, mesmo com uma valorização do real, as quedas sofridas por essas empresas também tendem a ser menores, se comparadas com empresas que só operam com moeda nacional. Afinal, moedas como dólar e euro, ainda que caiam, seguirão superiores ao real.

Por isso, investir em empresas exportadoras é uma forma de proteção indireta, já que equilibra os potenciais prejuízos.

Hedge em ações

O hedge em ações serve para que você evite grandes prejuízos com a volatilidade dos seus investimentos em renda variável.

Uma forma de fazer isso é comprando ações em que os índices se beneficiem com a movimentação do mercado (rentabilidade baseada no câmbio, por exemplo).

Hedge elimina todos os riscos do mercado financeiro

Como você viu, hedge é um instrumento de proteção contra os riscos das oscilações de mercado, especialmente no que se refere às flutuações de preços de commodities e do câmbio. Assim, é uma importante estratégia para agricultores, por exemplo. Mas o instrumento não se aplica a qualquer pessoa nem a qualquer investimento.

Por isso, fazer contratos de hedge não elimina todos os riscos do mercado. Eles dão conta de minimizar ou reduzir parte do risco, mas não contemplam todas as oscilações ou situações de risco.

Sobre a P6câmbio

A P6câmbio é uma fintech de pagamentos que facilita suas operações cambiais entre o Brasil e o Mundo. Oferece assessoria completa em câmbio e uma equipe altamente qualificada, garantindo agilidade e segurança em todas as operações da sua empresa com as melhores taxas de câmbio, atuamos com câmbio Turismo e Comercial.

Moeda em Espécie

Compre online dólar, euro, libra esterlina e muitas outras moedas estrangeiras em espécie.

Receba no local de preferência, por meio do nosso serviço de entrega, e o melhor, o Delivery é grátis com seguro.

Cartão Pré-Pago Internacional

Compre ou recarregue online o seu cartão pré-pago internacional Cash Passport Mastercard.

Com ele você fica livre de anuidade e das variações do câmbio, além de viajar com até 6 moedas estrangeiras em um único cartão.

Recarregue com dólar, euro, libra, dólar canadense, australiano ou neozelandês.

Importação

Pagamento de Importações é uma natureza de operação voltada para compras de comércio exterior através da P6câmbio, você poderá realizar pagamentos em moeda estrangeira, para importações de máquinas, peças, veículos e diversos outros produtos adquiridos no exterior.

Para esta natureza, não se aplica IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Basta apresentar a documentação referente à operação como por exemplo: Invoice, LI – Licença de Importação, BL – Bill of Landing e/ou DI – Declaração de Importação quando aplicável.

Exportação

Pagamento de exportações é ideal para empresas que precisam receber o dinheiro das vendas realizadas no exterior através da P6câmbio, sua empresa recebe sem burocracia e complicação, todos os pagamentos relativos às vendas no exterior, já convertidos em reais.

Para recebimentos nesta natureza, não se aplica IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).Basta apresentar a documentação referente à operação como por exemplo: Invoice, RE (Registro de Exportação), SD (Solicitação de Despacho) e/ou DUE (Declaração Única de Exportação) quando aplicável.

Pagamento de Serviços Diversos no exterior

Realize pagamentos ou recebimentos de serviços jurídicos, técnicos, profissionais ou administrativos, além de serviços de consultoria, através da P6câmbio, especialista em câmbio no Brasil.

Para envios e recebimentos desta natureza tenha em mãos o contrato de prestação de serviço e/ou Invoice.

Para envios desta natureza aplica-se 0,38% de IOF e Imposto de Renda. Não há IOF para recebimentos. Consultar alíquotas.

Facilitamos suas operações cambiais entre o Brasil e o Mundo!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here